A minha Lista de blogues

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Feira de Arte





Hoje visitei a 23ª feira ibero-americana de arte (25 a 29 setembro). Fiquei muito impressionada com a qualidade de algumas galerias, as quais apresentaram mais o seu rico espólio do que artistas novos. Não foi a primeira vez que visitei esta feira. Lembro-me que havia obras muito caras de artistas consagrados, mas também de outros recentes com preços mais acessíveis. 


Alejandro Otero

Desta vez, ainda perguntei o preço de algumas peças de arte cinética, porém como eram do artista venezuelano Carlos Cruz-Diez (1923), reconhecido internacionalmente, os preços rondavam os 180-190 mil dólares.

Carlos Cruz-Diez



Contudo, obras de outros pintores de renome também estavam presentes como Alejandro Otero, venezuelano (1921-1990), Mateo Manaure, venezuelano (1926), Santiago Cárdenas, colombiano (1937), Fernando de Szyszlo, peruano (1925).




Santiago Cárdenas

Fernando de Szyszlo



Revi Ramón Chirinos (1950), um pintor que vive em Barquisimeto, onde visitei o seu ateliê quando estive naquela cidade em 2006.


Ramón Chirinos



Ina Bainova


Também fiquei a conhecer Ina Bainova, (1938) nascida na Búlgaria e ainda, hoje em dia, a lecionar arte na Venezuela e Reymond Romero (1979).






Todas as imagens foram tiradas da net

Há cidra e sidra


Cidra


Cidra e Sidra são duas palavras homófonas com significados muito diferentes. 

Cidra é uma fruta cítrica, fruto da cidreira, muito usada no preparo do bolo de mel ou de frutas, que se come pelo Natal na ilha da Madeira. Neste caso usa-se depois de cristalizada. Tenho uma receita de pudim de amêndoa que leva cidra. É delicioso, porém é muito difícil prepará-lo em Lisboa por não conseguirmos encontrar aquele ingrediente essencial. 

Felizmente encontrei aqui não só o fruto natural, que cheira um pouco a limão, mas também cristalizado. 

A sidra é uma bebida preparada com sumo fermentado de maçã. Para mim a melhor sidra era preparada no Santo da Serra, Madeira. 

Pode ser natural ou gaseificada, à semelhança dos espumantes. Prefiro tomá-la natural, com açúcar e casca de limão, pois pode ter um sabor demasiado amargo se não adicionarmos açúcar. 







O ano passado bebi  sidra engarrafada, na Finlândia, mas não gostei. O sabor era muito diferente da tradicional sidra  fresca do Santo da Serra.

domingo, 28 de setembro de 2014

Fin di Siman na Korsu


Curaçao is an island near the western part of Venezuela, which together with Aruba and Bonaire is part of the Dutch Caribbean (the so called ABC islands). One explanation for the origin of the name Curaçao is that it is derived from the Portuguese word “coração”, which means heart.


Fin di Siman na Korsu is in Papiamentu, the local idiom, a form of Creole that is taught in primary schools, as well as Spanish, English and Dutch. It means “Weekend in Curaçao”.

























Queen Emma Bridge


The capital is Wilemstad and the city centre is divided in 2 parts: Otrobanda and Punda. Queen Emma Pontoon Bridge separates the two halves of the city.




Queen Juliana Bridge is the tallest bridge in the Caribbean and from there you have an amazing view of Otrobanda and Punda in one side, and of the industrial area of the other side .





When oil was discovered in Venezuela (Maracaibo) in 1914, the economy of the island changed as Shell built a huge oil refinery which employed around 10 000 people. Curaçao was an ideal site for the refinery- it had an excellent natural harbour that could hold large oil tankers.

The rapid industrialization of Curaçao, based on oil refining, resulted in an urgent need for labour, which the small community could not provide. The Portuguese, mostly from Madeira, were among the immigrant workers who came from the 1920s until the 1950s. A small group managed to stay either at the refinery or in the agricultural sector while others came to join them.





The Portuguese citizens evolved since the 1960s into a group with a strong entrepreneurial spirit, particularly in the supermarket sector. Nowadays there are about 40 different “cultures” in the island.



A special hat used for "culture week". At this time there is a hat competition.





Although the florin is the currency, the dollar is used everywhere and you can even withdraw dollars from the ATM machines.

























You can find many different sorts of cactus.






This Divi-Divi tree has been "sitting" for more than 80 years, according to our guide, Mr Eric Sommer







Mt Christoffel, the highest point (375 metres)



The iguana is a typical animal and you can find it easily in the woods. Iguana soup is a delicacy eaten mainly by men: as iguanas have two penises some people think it can improve their sexual performance by eating this soup.


Flamingos can also be found

and many birds...

Main attractions in Curaçao:







Willemstad is included in the Unesco World Heritage.












Floating market




Wedding cake house in the district of Scharloo where the rich Jews lived








Rif Fort was built at the beginning of the 19th century to provide defense for the harbour.












Plantation Houses  (Landhuizen) are historical and cultural characteristics of the island. They date back to the time of slavery (slave trade was officially abolished in 1863). They were the main building of the plantation, where the family of the owner lived. Nowadays they are used for different purposes (restaurants, art galleries, foundations...)


The beaches are quite small compared to the ones in Aruba and are hidden in bays but each one has its own charm.



A touch of Caribbean art by Nena Sanchez













It was indeed a very good "Fin di Siman na Korsu"!!

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

So true...


This was kindly shared by my nutritionist, Dr. Júlio de Castro Soares

CR 7 na Venezuela






Cristiano Ronaldo tem projeção em todo o mundo, como pude constatar recentemente na Colômbia onde bastava dizer que era portuguesa para se referirem a Ronaldo (James Rodriguez, colombiano e colega de equipa de Ronaldo, também gozava de grande prestigio).

Julgo que a Amália e o Eusébio, da minha infância, encontraram um substituto à altura e com fama ainda maior devido aos media atuais.

Quem pode, pode…



Ontem fui à festa nacional da Arábia Saudita. No dia 23 de setembro de 1932, o rei Abdulaziz anunciou a fundação do reino da Arábia Saudita.

À maneira árabe, fomos muito bem acolhidos e a festa, farta, mostrou que por lá “a crise” não passou. Devido às receitas do petróleo, descoberto em 1938 e que mudou radicalmente o país, a população vive com prosperidade e o seu nível de vida é bastante elevado. Todavia, a Arábia Saudita é muito arreigada às tradições, o que afeta essencialmente a liberdade das mulheres que nem estão autorizadas a conduzir ou a vestir-se em público da forma que lhes apetece.


Oferta aos convidados



terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pequena elegia de Setembro




Não sei como vieste, 

mas deve haver um caminho 

para regressar da morte. 

Estás sentada no jardim, 

as mãos no regaço cheias de doçura, 

os olhos pousados nas últimas rosas 

dos grandes e calmos dias de setembro. 



Que música escutas tão atentamente 

que não dás por mim? 

Que bosque, ou rio, ou mar? 

Ou é dentro de ti 

que tudo canta ainda? 



Queria falar contigo, 

dizer-te apenas que estou aqui, 

mas tenho medo, 

medo que toda a música cesse 

e tu não possas mais olhar as rosas. 

Medo de quebrar o fio 

com que teces os dias sem memória. 



Com que palavras 

ou beijos ou lágrimas 

se acordam os mortos sem os ferir, 

sem os trazer a esta espuma negra 

onde corpos e corpos se repetem, 

parcimoniosamente, no meio de sombras? 



Deixa-te estar assim, 

ó cheia de doçura, 

sentada, olhando as rosas, 

e tão alheia 

que nem dás por mim.


Eugénio de Andrade